Digamos que você esteja há alguns anos investindo na ideia de entender um pouco mais sobre negócios, vendas e marketing digital. Você já comprou alguns livros, leu uma toneladas de artigos e ainda assim não se acha totalmente capaz de aplicar tudo isso no seu próprio negócio.

Digamos que é uma tarefa difícil passar toda essa carga prática em apenas um artigo de duas páginas; eu penso sempre assim: “Que conselho eu daria para o meu filho, se tivesse apenas alguns minutos?”.

Com certeza eu diria para ele: não venda.

A internet não se desenvolve como um imenso shopping digital, por mais que alguns especialistas tentem te vender isso. Ninguém abre o Facebook ou vai àquele site atrás de anúncios. Cá entre nós? Na maioria das vezes, anúncios são chatos pra cacete!

É como imaginar que há no mundo um torcedor que assiste ao Corinthians e Palmeiras por causa do show do intervalo. Se intervalo fosse bom ele seria um programa.

Então, porque é que as pessoas passam tantas horas por dia on-line?

Qual é o segredo do facebook?

 

Porque elas estão entediadas. Elas querem aprender, se divertir, matar o tempo, tirar da cabeça delas um pouquinho do peso da rotina e das suas obrigações. A internet não é um lugar para se fazer compras, mas para fugir um pouco da loucura do dia a dia.

E é justamente por isso que, se você receber o seu lead com uma enorme mensagem de vendas na cara dele, o fará pensar: “Mas que droga! Até aqui?”.

De alguma maneira você chegou até o meu blog, não é? Eu aposto o meu braço que foi através do meu perfil do Facebook ou da busca orgânica do Google. De duas uma! Sabe porque eu aposto com tanta certeza?

Porque 98% do meu tráfego é orgânico.

Bom, digamos que tenha sido pelo Facebook. Você não me conheceu por conta dos anúncios e das propagandas que eu faço por lá, não é? Nem das vezes (poucas!) que eu posto o link do O Novo Mercado em algum comentário que eu faça. Estou errado? Aposto que não.

Se você chegou até aqui através do Google, eu aposto o meu outro braço (só tenho dois!) que foi através do buscador orgânico. Sem links patrocinados. E como eu sei disso? Porque eu não costumo fazê-los.

E a que conclusão nós chegamos aqui? Mesmo que eu não faça propagandas e gaste menos em anúncios do que eu gasto em cerveja em uma única noite no bar, você chegou até aqui. E o melhor: você está lendo até aqui!

"Você não deve irritar o seu cliente para que ele compre, mas informá-lo até que ele compre" - David Ogilvy.
“Você não deve irritar o seu cliente para que ele compre, mas informá-lo até que ele compre” – David Ogilvy.

Você chegou ao décimo segundo parágrafo de um texto de um sujeito que está falando para você que não está te vendendo nada – e que você também não deve fazer isso!

Blogs são conhecidos por serem ambientes amigáveis, propícios à troca de informações e ao acúmulo de conhecimento. Se você mostrar ao seu lead que, assim que ele pisar na sua página, você está desesperado por vende-lo alguma solução ou algum produto mirabolante, as chances são de que ele te encare apenas como mais um comercial.

E o que é que as pessoas fazem com comerciais? Mudam de canal.

Essa é a nossa primeira regra. A mais importante de todas: não seja um vendedor tarado. A época dos vendedores pit-bull já era. Você precisa alimentar o seu lead. Você precisa nutri-lo, educá-lo, prepara-lo para, ai sim, pensar em vender alguma coisa para ele. Você parou para perceber que nós já estamos no décimo sexto parágrafo e você ainda está me ouvindo – e eu te agradeço muito por isso!

Então, acredite: esse é um dos conselhos mais valiosos que eu aprendi nesses últimos 10 anos. Se você quiser aprender um pouco mais sobre como qualificar e nutrir os seus leads, esse artigo aqui é perfeito para isso. Dê uma olhada nele.