Certo, vamos lá: o que diabos é um slogan e para que ele serve?

A primeira parte da pergunta é fácil: “Ah, é aquela frase pequena que vem depois do nome da empresa, geralmente na propaganda ou na identidade visual da marca”.

E para que serve? Daí, as respostas se distribuem em uma sequência de achismos, que vão do “para fixa na cabeça do cara” até o “porque tem que ter”.

Rapidamente, explicando aqui para vocês: O slogan faz parte (e uma parte fundamental) do branding de uma companhia, de uma campanha ou de um negócio. Assim como a paleta de cor, a tipografia, o logo e a voz da marca, o slogan faz parte da composição total dessas informações comerciais que compõem uma marca.

Slogan está muito além de ser apenas uma frase engraçadinha para vender ou para rimar com alguma piadinha.

Ele faz parte do processo de ocupação de espaço dentro da mente da audiência; quando você desenha uma campanha, lá está o slogan, servindo como um agente fundamental para criar uma sequência de sentimentos (e embutir valores e mensagens, mesmo que subjetivamente) na cabeça do seu lead.

Se você ainda não possui um slogan para o seu negócio, maravilha, você aprenderá algumas coisas que irão (com certeza!) ajudá-lo a criar um. Caso você já tenha, ótimo, não tem problema, porque você poderá colocá-lo em xeque, para saber se ele realmente é um bom aliado para a comunicação do seu negócio.

Vamos lá: o que é que um bom slogan precisa ter?

1. Ele precisa ser memorável.

Grudar na cabeça

Um bom slogan precisa ficar grudado na cabeça da sua audiência. O ideal é que ele seja curto, utilize apenas algumas palavras, para que se torne facilmente decorado e que ele também traga elementos rapidamente associáveis pela sua audiência. Felicidade, eficiência, realizamos, conseguimos, felicidade, satisfação, companhia, alto padrão, além das expectativas…todas essas palavras são excelentes ganchos emocionais para você começar a trabalhar o seu slogan.

2. Ele precisa possuir um benefício claro!

O ideal é que o principal diferencial comercial do seu negócio esteja no seu slogan. O que é que diferencia o Novo Mercado de todas as outras escolas de empreendedorismo? Que nós não somos uma dessas escolas toscas de empreendedorismo, onde você fica assistindo aula de bilionários, que falam sobre como eles ficaram podres de rico lá nos anos sessenta.

Muito menos esses negócios de que você fará um ano de faturamento em sete dias.

Nós somos uma escola criativa. Que ensina que é preciso trabalho duro e o conhecimento de um bom conjunto de técnicas para as coisas (finalmente!) começarem a dar certo. Ensinamos como gerar comunicação diferenciada e como aplica-la ao seu dia a dia, cada vez mais competitivo, dado à democratização do acesso aos anúncios promovidos pelo Facebook.

E é por isso que o nosso slogan é: “Escola criativa para negócios”. É isso que nós somos. Pra que cargas d’água eu colocaria outra coisa?

3. Ele precisa provocar sentimentos.

Provocar sentimentos

Um slogan que não provoca qualquer sentimento, é um slogan que está tendendo ao fracasso. É bacana que ele seja curto, memorável, de fácil aderência e que lhe traga alguma vantagem comercial logo nas primeiras palavras, mas ele também precisa emocional. Precisa ativar o estômago do lead, quando ele puder os olhos nessa pequena frase.

Eu nunca irei me esquecer do dia em que eu cheguei em casa e a minha esposa estava fazendo o meu filho comer; quando ele raspou o prato inteiro, ela começou a bater palmas e cantar: “Os novinhos estão de parabéns!”. Esse é um soundbranding da campanha do novo sanduíche do Mc Donalds. Ela nem sabia direito, mas o novinho (para ela: o meu filho) estava de parabéns.

Agora, de nada adianta um grande slogan se não há vendas. Aproveite e dê uma lida nesse nosso artigo sobre como vender qualquer coisa. Ele está ótimo!

Esse é um exemplo perfeito. Não é à toa que o Mc Donalds é o maior criador de slogans e soundbrandings do planeta.

4. Evite palavras negativas.

Proibido

Nunca monte um slogan para a sua empresa de assessoria financeira dessa maneira: “Evitando prejuízos futuros”. Ou para uma loja saudável: “Nós não usamos gordura”. Essas imagens fazem surgir – imediatamente – memórias e associações na cabeça da sua audiência e isso pode ser muito ruim, caso as palavras ativem zonas ruins.

Prefira sempre palavras positivas. Se vai falar de finanças, que tal: “Gerando economia para você”? Ou, no caso da comida saudável: “Mais sabor e ainda mais saúde”?

Lembre-se, nesse jogo de marcas e associações, tudo parece acontecer em um único minuto, mas está acontecendo violentamente. Um som, uma frase e um logo, combinados, são capazes de gerar uma primeira impressão positiva (ou negativa!) fortíssima na cabeça da sua audiência e, a partir daí, você terá uma grande vantagem ou uma grande desvantagem a seu favor ou desfavor.

Fiquemos com as vantagens, então!