Em um dos nossos artigos mais acessados, eu falei para você que a primeira regra da comunicação digital é não vender. Que falar de venda é como virar uma chave na cabeça da sua audiência, em que você passa a ser chato com o Faustão.

Se você não leu ainda esse artigo, ele está aqui. Dá uma lida nele antes, depois volta aqui.

Bom, agora você já sabe que para haver um push de venda, devemos preparar a nossa audiência, não é? E que isso pode ser feito através de várias maneiras, inclusive com uma porção de conteúdos ricos (tá, você também não leu o nosso artigo sobre o assunto? Então dá uma lida nele agora).

Agora, e como criar um bom ambiente para a venda?

Aliás, primeiro de tudo: o que diabos é um bom ambiente de vendas?

Trata-se de um conjunto de artifícios (que vão desde o website, o quão confortável o seu lead se sente nas suas redes sociais, se ele está contente com o conteúdo que você produz, se ele gosta da sua pessoa, se ele já parou de enxerga-lo apenas como um vendedor tarado pelo dinheiro dele) que fazem com que o seu cliente se sinta decidido (e bem!) no exato momento da compra.

É o que a gente chama de: “Faça o lead se sentir em casa”.

Existem cinco  pontos fundamentais (e que você deve trabalhar sempre!) para a construção de um bom ambiente de vendas. Se você conseguir organizar todos eles e mantê-los bem dimensionados, acredite, você passará a vender muito mais e em muito menos tempo.

1. Cuidando da sua autoridade.

Cuide da sua autoridade!

Quem é você? De onde você veio? Como a sua empresa surgiu? Que problemas ela já resolveu? Quantas pessoas já foram suas clientes e estão plenamente satisfeitas? Há quanto tempo você está no mercado? Por que é que diabos alguém passará o cartão na sua maquininha de débito?

A autoridade responde a todas essas questões como uma tijolada no dente. E como é que você sabe se possui uma bela autoridade? Quando todas essas perguntas que eu fiz acima são respondidas naturalmente pela sua audiência.

2. Integridade.

Essa é a moeda mais cara do mercado. Uma marca pode ter uma grande história para contar, pode oferecer produtos fantásticos, mas se ela não for 110% íntegra, ela terá vida curta no mercado. Você não quer (acredite!) trocar saúde por dinheiro. O preço é caro demais. Mantenha-se limpo ou você sumirá rapidinho.

3. Familiaridade.

Lembra daquele papo de fazer o lead se sentir em casa? Pois é. Como é que você está recebendo essa audiência na sua casa (site, blog ou rede social)? Está recebendo esse sujeito com um template velho de WordPress e um texto vergonhoso de “missão, visão e valores” (mais brega do que o sofá da minha avó) ou está pensando em cada detalhe? Na qualidade das imagens, no encaixe do site aos diversos celulares, na produção de conteúdo original (revisado, sem erros gramaticais e direcionado para a persona correta…), hum?

Você só percebe o valor de uma boa experiência do usuário, quando cai em um site fantástico.

4. Proximidade.

Qual é o valor da sua comunidade?

Certo, do que adianta um ambiente de vendas formidável, um site bem feito, um ótimo conjunto fotográfico, vídeo zero bala, se você não dá suporte? Se os e-mails demoram para serem respondidos (principalmente os dos clientes!)? Se ninguém consegue ter acesso a você?

O melhor cliente será sempre o seu atual cliente.

É ele que é capaz de chamar mais uma porção de pessoas até o seu negócio ou de queimá-lo para mais de cem. E não há nada que desole mais um cliente do que ter acreditado em toda a sua proposta de venda, ter efetivamente comprado os seus serviços, e perceber que você era só uma promessa. Que, agora, é impossível entrar em contato com você.

Esteja sempre próximo do seu cliente. É ele quem paga as suas contas. Ele é o seu verdadeiro patrão.

5. Crie uma comunidade.

Muito mais poderoso do que criar um grande ambiente de vendas, preocupado com cada detalhe das suas redes sociais, com um ótimo tráfego, pensando no orgânico, mas que funciona como ilhas independentes (com cada lead existindo no seu próprio mundinho), é construir uma comunidade.

E você não precisa fazer mais um grupo de Facebook para isso. Chega dessa porra!

Uma das maneiras mais fáceis de se criar uma comunidade é fazendo as pessoas se sentirem confortáveis nos seus posts, nos seus comentários. Apresentá-los uns aos outros, juntar as pessoas que vivem nas mesmas cidades. Tomar uma cerveja com os caras que estão próximos a você. É, não custa nada – e, posso te dizer? Saem ótimos negócios. Sempre saem.

Conheça a sua audiência. Sabia o nome dos seus clientes, o que eles fazem, porque eles estão (e confiam!) em você e nos seus serviços. Isso sim é a ferramenta de vendas mais poderosa do mundo!