Ahá! Você não aguentou de curiosidade, não é mesmo? Pois é, se você chegou até aqui significa que esse elemento funciona de verdade. E qual é ele? Persuasão. Esse é o segredo para a geração de conteúdo do seu negócio online.

Nos dias de hoje, uma pessoa comum (eu não estou nem falando daqueles que são viciados em computador!) está sujeita a cerca de oito mil estímulos de compra por dia, entre anúncios, banners, comerciais de televisão, outdoors e tudo mais…

Oito mil! Oito mil!

O que é que acaba acontecendo, diante desse excesso de pedidos de compra? O seu cérebro começa a se proteger, evitando tudo aquilo que ele julga que não é tão interessante assim. Tanto é que (eu aposto) que quando eu falei em oito mil estímulos de compra você deve ter pensado: “Exagero!”.

Pois é. Mais um motivo para você reconhecer a importância da persuasão. Quais foram os anúncios que você viu hoje no Facebook? Você consegue me dizer pelo menos cinco? Eu aposto que não.

A curiosidade como uma grande mola mestra.

Curiosidade!

Tudo (na internet) começa com um clique – costumam dizer isso, não é? Pois é. Mas, não é bem assim. Tudo, por aqui, tem início com o desejo; e são vários os desejos, mas o que acaba agindo de maneira mais eficiente (e orgânica) no cérebro de qualquer pessoa é a curiosidade.

E você sabe por que?

Eu não vou te dizer o porquê.

Pronto, isso já foi o suficiente para você pensar nisso o dia todo.

Dentro de uma estrutura de vendas, a redação publicitária (ou copywriting) é o carro chefe do seu negócio; é ela que estrutura a sua política de conteúdo, de qualificação de um lead, da sua distribuição nos diversos funis de vendas, que cria o esqueleto para uma boa política de SEO e SEM e que leva os olhos do lead (informando, educado, dirimindo dúvidas e validando) da primeira linha até o botão de compra.

Quase nada pode ser construído (ou vendido) por aqui sem uma boa estrutura textual, que incuta na sua audiência o desejo pela compra.

E, se a sua produção textual é a parte mais importante de toda a sua estratégia de vendas, qual é o seu ponto fundamental? O núcleo de tudo isso?

O título.

O título existe para que todo o resto seja lido. Sem ele, não há qualificação, instrução, desenvolvimento nem validação.

E se a mãe de todos os sentimentos publicitários é a curiosidade, porque é capaz de fazer um lead apertar o botão de “clique para ver” como ninguém, aplica-la ao seu título é sempre uma boa estratégia.

Tudo o que você quer, em um primeiro momento, como copywriter, é que o lead leia o seu título. Toda a sua estratégia comercial depende disso.

E depois?

Que ele clique!

Está começando a fazer sentido para você?

Algumas dicas valiosas sobre a suspensão (curiosidade) aplicada aos títulos.

Hipnótico

Quando nós estamos falando de títulos que trabalham com a ideia de curiosidade (ou suspensão), nós podemos dividi-los, basicamente, em quatro grandes grupos, que funcionam com as quatro subdivisões fundamentais de qualquer quadro de expectativa humana:

A perda (e o medo).

O ganho (e a ganância).

A incerteza.

O tédio.

A perda e o medo: “Veja quanto você está deixando de vender por ano, graças a sua desorganização”. Quem não clicaria? Quantas pessoas, principalmente aqui no nosso país, de origem latina, não se enrolam todas por causa da sua falta de organização? E ainda há um adendo: o desorganizado dificilmente (nunca!) sabe o quanto isso está custando para ele.

Esse é um caso clássico em que você seleciona uma sensação ruim, geralmente ligadas à perda de oportunidades, o prejuízo financeiro ou o atraso de vida e formula uma resposta simples, que pode te dar uma ideia do quanto tudo isso está sendo ruim para você.

É tiro e queda.

O ganho e a ganância: “Conheça as áreas que mais oferecem emprego!”. Mais uma mistura clássica. Você utiliza a suspensão para gerar curiosidade e ataca direto (nem no coração!) do curioso. Quem aqui não quer saber quais são as áreas que estão pagando melhor? Que possuem mais vantagens ou que estão com a maior quantidade de vagas em aberto?

A ganância é motivada geralmente por dois pilares principais: a ideia de que tem gente ganhando dinheiro (fácil e rápido) em alguma área que você não conhece (enquanto você dá duro todos os dias) e que é possível ganhar um montante de dinheiro sem fazer muito esforço.

É por isso que esses cursos de hacks estão tão em alta. Quem aqui não quer se tornar mais produtivo em apenas duas semanas? O problema é que eles costumam custar R$ 5.000,00.

A incerteza: “Descubra quais são os seus principais ponto-fracos comerciais”. A incerteza se confunde muito com o medo, mas são coisas diferentes. Ao passo que um título que impute dúvida baseado na perda irá martelar que você já está ficando para trás (e que irá te dizer apenas o quão atrás você está), quando trabalhamos a incerteza nós ainda não devemos dizer para a audiência: “Ei, você já se deu mal! Já está tomando prejuízo!”.

Algumas audiências tendem a desistência (logo, não compram) quando você aponta para a cara delas e diz: “Ei, você já se deu mal! Já era! Veja quanto você perdeu”. O que alguns enxergam como um desafio pessoal (e utilizam-se disso para mudar), outros jogam tudo para o alto, tomam remédios para dormir e apagam as luzes.

E é por isso que é tão importante você (e para o seu negócio) conhecer a sua audiência. Essa é a grande diferença entre que tipo de estratégia você escolherá para pescar os seus peixes.

O tédio: “Descubra qual foi a dieta responsável pela barriga da Grazi”. Aqui você não está levantando qualquer lebre. Não está falando sobre os males do sobrepeso nem dizendo o que a moça irá ganhar (em qualidade de vida e autoestima) após perder alguns quilinhos.

Não. Você está atirando com um rifle muito mais poderoso: o tédio pelo tédio.

Esse é um dos grandes movimentos estratégicos para quem trabalha com o público feminino ou para um determinado tipo de público masculino composto por homens solteiros.

Agora, de nada adianta planejar e desenhar se o conteúdo não é genuinamente bom. O que manda na internet é o conteúdo! Saiba mais sobre a sua importância nesse artigo aqui que nós produzimos! 

Sejamos francos: nós estamos conectados à internet o dia todo, logo, boa parte do tempo em que estamos navegando estamos absolutamente entediados. E o melhor gatilho para quem está entediado é testar a sua curiosidade sobre temas comuns, que são perfeitos matadores de tempo.

Mulheres irão clicar porque gostariam de ver como está a barriga da Grazi e homens irão clicar (também) porque querem ver se ela está de bikini em alguma dessas fotos. E é por isso que funciona tão bem.

Resumindo…

Force a sua audiência!

Não tenha medo de utilizar títulos e trabalhar com temas que instiguem a sua audiência e os force ao clique. Esse é o combustível para o seu negócio. Se o seu conteúdo for de qualidade (e isso é a coisa mais importante de todas: que você tenha, realmente uma mensagem para passar) eles não ficarão putos ou se sentirão traídos por terem sido “forçados” ao clique.

Na verdade, todos os grandes portais de notícia e o jornal (há mais de 100 anos) vem fazendo isso todos os dias, para venderem as suas tiragens ou angariar mais visitantes.