O briefing tem sido um recurso de muitos gerentes e CEOs de sucesso

briefing é fundamental para conseguir traçar um plano a respeito de um produto, serviço ou marca. 

Sendo assim, é fundamental entender como fazer este documento da melhor maneira possível para gerar resultados positivos.

O que é Briefing?

briefing é um conjunto de informações reunido em um conjunto de dados a serem divulgados para terceiros. Sua construção e transmissão é feita por meio de reuniões entre o contratante e o contratado para o desenvolvimento de uma estratégiaplanoprojeto ou ação.

Dessa forma, o dossiê deve mapear o problema, a intenção, o cenário e as ações, diagnosticá-los com precisão e eficácia para que se possa atingir a solução

De fato: o primeiro passo para qualquer projeto de sucesso é traçar um plano estratégico, por isso a necessidade de “botar no papel” os planos. Portanto, é necessário entender o que é briefing.

Por fim, é muito importante reunir informações que descrevam a meta, objetivos, prazos e orçamentos de qualquer coisa: um produto, site, ação ou até desenvolvimento de marca.

Como funciona o Briefing?

Briefing projetos

De fato, muitos se perguntam como funciona. Portanto, separamos dicas fundamentais para fazê-lo de forma eficaz. 

Primeiramente, o desenvolvimento de um trabalho extenso e profundo é fundamental para a produtividade da equipe e também para a satisfação do contratante.

Por outro lado, para ser eficaz e fiel à sua proposta, deve trazer informações sucintas com qualidade e objetividade sem perder o conceito e precisão da informação. Este documento deve ser breve.

Assim, Allan Bennett afirma: “Briefing não é leitura. Na verdade, é a antítese da leitura. O briefing é conciso, fatual e direto ao ponto”.

Além disso, o autor continua: “Ler é desordenado, discursivo e convidativo. O briefing fecha um assunto, a leitura o abre”.

Para que serve o Briefing?

Primeiramente, é preciso saber para que serve. É importante notar que ele propõe inúmeras vantagens e uma das principais é o alinhamento na comunicação.

Por exemplo: é certo que o contratante dessa ação ou projeto que irá para o briefing terá algumas ideias definidas antes do briefing.

No entanto, nem sempre o cliente sabe precisamente o que quer. Estar desatento a essa situação pode ser desastroso.

Por isso, muitas vezes o contratante desenvolve e atualiza suas necessidades no decorrer do projeto: parte dessas mudanças pode ser provocada ao longo do processo, com resultados ainda mais elaborados do que inicialmente.

Portanto, a função do briefing é a de alinhar as expectativas com a realidade através da documentação correta das metas que deseja-se alcançar.

Dessa forma, para garantir produtividade, este guia deve se apresentar como um meio de comunicação eficiente entre as duas partes, sendo benéfico adicionar o maior número de informações sobre as particularidades do projeto. 

Que informações usar no Briefing?

Primeiramente, é preciso fazer uma pesquisa sobre o contratante e o produto ou serviço que oferece.

Além disso, detalhes como a compreensão da marca e sua história; qual o segmento de consumo, desafios e objetivos sugeridos, público-alvo, concorrentes e portfólio são necessários. 

Por outro lado, pesquisar sobre o segmento de consumo do cliente economiza bastante tempo para compreender suas questões.

Entender quem deve ser convidado para a reunião e, uma vez começada, quem está apto a responder as questões para a hora de escrever.

Além disso, durante a reunião, é preciso saber qual a percepção do contratante ou de sua organização sobre público-alvo e entender onde está o gap entre o objetivo e a realidade.

Por fim, é dessa pesquisa de base, ofertada e discutida nessa primeira reunião que surgirá o material para o desenvolvimento da escrita deste trabalho.

shutterstock 1465758101 1

Como fazer Briefing?

Em primeiro lugar, alguns cuidados devem ser tomados na tentativa de garantir um ótimo resultado: estas informações não devem ser muito sistematizadas.

De fato: não deve haver uma fórmula única ou padronizada para se desenvolver um bom briefing, pois o formato de cada necessidade vai mudar constantemente e depender de muitos fatores.

É muito comum querer estabelecer um tipo de questionário, que agrupa informações requeridas em vários tópicos para serem respondidas durante o desenvolvimento.

Por exemplo: o briefing em forma de questionário tem suas vantagens, como oferecer um “modelo-padrão” de investigação. Por outro lado, ele não é seletivo e tende a dar importância igual para todos os campos, relevantes ou não naquela entrevista específica.

Sendo assim, checklists com perguntas podem certamente ser úteis, mas seu valor está na sua capacidade de estimular a investigação e assegurar que nenhum tópico importante seja negligenciado.

Por fim, em um mercado onde a competência do contratado faz com que este se mantenha em sua existência, ele e todos os envolvidos devem ser continuamente estimulados a desenvolver suas habilidades. Isso é a melhor garantia de um briefing de sucesso.

Quais as vantagens do briefing?

Um briefing bem elaborado pode significar o melhor dos mundos: propor direcionamento a respeito do projeto que se está organizando e provocar alterações que tornem os resultados mais positivos.

Em geral, um menor tempo de produção é garantia de satisfação para os dois lados, sendo essa essa uma boa resposta quando pergunta-se para que serve.

Além disso, se existe uma equipe envolvida, esse briefing também deve ser capaz direcionar a todos corretamente durante toda a produção. Também é preciso que seja de fácil acesso para todos os integrantes. 

De fato: como muitos da equipe podem não ter contato direto com quem solicitou o briefing, o fácil acesso é fundamental.

Você conseguiu entender como fazer um briefing da forma certa? Faça um comentário para que possamos te ajudar ainda mais.